BLOG SPORT BIKE

"NUNCA ANDE PELO CAMINHO TRAÇADO, POIS ELE CONDUZ SOMENTE ATÉ AONDE OS OUTROS FORAM". Alexander Grahan Bell.

Translate

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Vencer seus próprios limites

Voltar a pedalar depois de 27 anos não foi tão fácil, mas também, nada impossível. O que me ajudou foram as corridas de rua (pedestre) das quais já praticava ainda quando... digamos, mais jovem. Depois, fiquei aproximadamente 10 anos parado, sem realizar, se quer, uma atividade física até o estresse do dia-a-dia me levar num cardiologista. Isso mesmo, fui parar em um consultório médico devido a crises de aritmia cardiaca. Nesse período engordei 16 quilos. Nos últimos 9 anos o ponteiro da balança subiu, subiu e subiu... mas, calma!!! Não precisa assustar, pois agora, sim, condidero-me "magro", ainda mais para quem tem 1,88 metros de altura e pesava 69,5 quilos, realmente, agora, com os meus 86 quilos, sou magro. O médic0, claro, não podia ser diferente, queria me empurrar remédios que teria de tomar para o resto da vida. A segunda opção era, simplesmente, "me cuidar". Diante tal situação, preferi, então, "correr" atrás do prejuízo e retornar às atividades físicas, desde que respeitasse os meus próprios limites (recomendação do doutor). Voltei a correr no mínimo 5 quilômetros, três vezes por semana, depois passei para 7 kms - com o coração saltando pela boca -, em seguida arrisquei os 10kms, depois os 12 kms, e no final de um ano lá estava eu no meio daquela multidão, na avenida mais paulista das paulistas para correr os 15 kms da São Silvestre! No final da minha primeira corrida internacional, senti que além de ter sobrado fôlego, restou muita energia para queimar, então, os próximos passos... ou pernadas, foram atingir à distância de 21 kms, ou seja, chegar numa meia-maratona... e consegui!!!
Logo conheci, através da minha querida e amada, Sá, um grupo de ciclistas (Pedal_aventura) no município de Indaiatuba, 20 kms de Campinas, interior de São Paulo, até experimentar essas novas "máquinas" de pedalar. As bicicletas de hoje são, indiscutivelmente, máquinas pela facilidade de locomoção, de subir e descer morros, graças à tecnologia adotada e nada comparada com as bicicletas de 30 anos atrás. Experimentei, gostei e, logo, comprei a minha... daí em diante não parei mais de pedalar e nem de correr. Quanto a minha aritmia? Ela vai bem, obrigado. As vezes dá um sinalzinho aqui outro ali só para me lembrar que ainda não cumpri com todos os cuidados que devo tomar. Um deles, o que resta, é o de cortar o regrigerante tipo "Cola" por conter cafeína e outras químicas, mas confesso que diminuí muito. Hoje, já sei o que é água e nos tornamos grande amigos. Há quase um ano de pedaladas, já consigo completar percursos mais longos, entre 80 e 100 kms, com muita disposição e, principalmente, determinação. Em cada percurso um novo desafio, ou seja, vencer os próprios limites, não se esquecendo de ter cautela e moderação.

video

Lembre-se, amante do ciclismo, jamais esqueça os equipamentos básicos de segurança: capacete, luvas e óculos.

2 comentários:

  1. Meu jovem!!! Parabéns pelo blog. Você foi muito feliz na escolha do nome (blgsportbike). Que aventura! Felicidades!
    Roberto, Roseli, Pedro e João
    São Paulo

    ResponderExcluir
  2. Olá Robertinho, obrigado por ter acessado o BlogSportBike. Preciso de seus contatos, me liga! Abraços, Anthony.

    ResponderExcluir