BLOG SPORT BIKE

"NUNCA ANDE PELO CAMINHO TRAÇADO, POIS ELE CONDUZ SOMENTE ATÉ AONDE OS OUTROS FORAM". Alexander Grahan Bell.

Translate

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Caminho da Fé (de Bike)

Para os amantes do ciclismo que gostam de fazer uso da bike também como intrumento de retiro e meditação, aí vai uma boa dica. Entre os dias 23 e 28 de novembro está programado o Caminho da Fé de Bike. Serão 322 quilômetros de pedal, com saída de Águas da Prata (MG) até Aparecida do Norte (SP). A distância deve ser percorrida em cinco dias com paradas em hoteis e/ou pousadas já reservadas pela organização do passeio.
Roteiro:
1º Dia (23/11/09): ÁGUAS DA PRATA, Andradas, Serra dos Lima, Barra, Crisólia e Ouro fino. Distância de 77 km, saindo de uma altitude de 850m, atingindo 1.400m e terminando em 900m;
2º Dia: Inconfidentes, Borda da Mata, Tocos do Moji e Estiva. 69 km de pedaladas , saindo de uma altitude de 900m, atingindo 1.300m e terminando em 900m;
3º Dia: Consolação, Paraisópolis e Luminosa. Distância de 66 km, saindo de uma altitude de 900m, atingindo 1.250m e terminando em 900m;
4º Dia: Campista, Campos do Jordão e Piracuama. Serão 60km percorridos, saindo de uma altitude de 900m, atingindo e terminando em 1.750m;
5º Dia (e último - 27/11/09): Pindamonhangaba e APARECIDA DO NORTE. Últimos 50 km de pedal, saindo de uma altitude de 1.750m e terminando em 550m. O retorno a Campinas será no dia 28/11.
O valor do pacote por pessoa é de R$ 350,00 (trezentos e cinquenta reais) à vista ou em 05 vezes com cheques pré-datados. O transporte - de Campinas para Águas da Prata (ida) e Aparecida do Norte até Campinas (retorno) - está incluso no pacote assim como as 05 pernoites com café da manhã. As refeições (almoço e jantar) serão por conta de cada ciclista.
Outras informações, entrar em contato com Du Gomez, através dos fones: (19) 97129527 ou (19) 33860079, ou pelo site http://www.dugomez.net/
Todas as informações sobre o Caminho da Fé podem ser obtidas no site: http://www.caminhodafe.com.br/
Lembre-se, amante do ciclismo, jamais esqueça os equipamentos básicos de segurança: capacete, luvas e óculos.

Deficiente visual pedala 1,6 mil quilômetros

Foto: Fábio Tito/G1
Para quem acha que bicicleta é meio de transporte só para quem enxerga está enganado. O adestrador de cães, Adalto Belli, 38, que tem apenas 35% da visão, pedalou de Brasília, DF, à Paraty, RJ, em companhia do empresário Weimar Pentegill, 37, que o convidou. Foram 18 dias de viagem, a maior parte do percurso em entrada de terra. A aventura se transformou em livro, e logo será lançado em São Paulo. Uma das curiosidades dessa inusitada experiência, conta Adalto, é que durante uma descida próxima a um vale ele confundiu uma favela com um bonito lago. "Você acaba vendo o que quer ver (...)", comentou. Adalto Belli faz parte do projeto "DV na trilha" que promove a inclusão social de cegos através de bicicletas duplas em Brasília. Veja a matéria completa no link abaixo.
Lembre-se, amante do ciclismo, jamais esqueça os equipamentos básicos de segurança: capacete, luvas e óculos.

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Anote na agenda...

O grupo de ciclismo Ecos Bikers, de Barão Geraldo (Campinas-SP), realizará na próxima quarta feira, 27, o Ecos Night Bike. Trata-se de um passeio ciclístico noturno valendo para o Challenge Day, ou seja, o Dia do Desafio. Nessa data, todas as pessoas - independente da idade, sexo e religião - devem praticar alguma atividade física por, no mínimo, 15 minutos. O local de saída do passeio ciclístico será na praça do côco, em Barão Geraldo, pontualmente, às 19h30. O Blog Sport Bike estará lá para registrar o evento.
Lembre-se, amante do ciclismo, jamais esqueça os equipamentos básicos de segurança: capacete, luvas e óculos.

domingo, 24 de maio de 2009

O que é, o que é??? Adivinhe e vote IPI ZERO

Preserva o meio ambiente (não polui); tem alta eficiência energética, pois seu deslocamento só depende da energia humana; contribui para a saúde do usuário (bem estar físico e mental); trata-se de instrumento de lazer e de práticas esportivas, além de servir, também, para atividades profissionais. Há vários modelos, marcas e tamanhos (para crianças e adultos, homens e mulheres). Nos dá uma sensação de liberdade; as vezes nos machuca, mas por descuido nosso e não do misterioso objeto. A última dica: nos leva para qualquer lugar... e, para distâncias maiores, nos grandes centros, já está liberada - em horários específicos - nos trens do Metrô.
Já adivinhou o que é? Exatamente!!! Mais de 10% da população brasileira utiliza a bicicleta como meio de transporte, índice, esse, baixo para um país que tem cerca de 170 milhões de habitantes. Hoje, o mercado brasileiro, o terceiro maior produtor de bikes do mundo, dispõe de várias marcas, nacionais ou importadas, e para diversos fins - lazer ou trabalho. Mas as bicicletas são caras. Dependendo do material fabricado podem custar 3o mil reais (as de fibra de carbono). Ah, tudo bem, há magrelas mais acessíveis que custam uma bagatela de 1 mil a 5 mil reais. Ainda está cara? Nas lojas é capaz de encontrar bicicletas baratinhas no valor entre 300 e 600 reais (apenas para pedalar na cidade). A boa notícia é que o preço das bicicletas pode baixar, independente da marca e do fim que se pretende. O Projeto de Lei (n. 166-2009) de autoria do senador Inácio Arruda propõe IPI zero para esse meio de transporte ecologicamente correto. Com o slogan "bicicletas para todos", uma campanha está sendo realizada - em defesa da isenção do imposto para bicicletas, suas partes e peças - com o objetivo de sensibilizar os senadores a aprovarem o projeto. Nós também podemos participar da campanha assinando o abaixo assinado pela aprovação do projeto de Lei 166/2009. Acesse http://www.inacio.com.br/abaixo-assinado e vote. Veja na íntegra o Projeto de Lei no link abaixo.
Lembre-se, amante do ciclismo, jamais esqueça os equipamentos básicos de segurança: capacete, luvas e óculos.

sábado, 23 de maio de 2009

Rodeio de Jaguariúna (SP) provoca mortes de jovens.

Esta postagem não tem nada a ver com o ciclismo, mas faço questão, aqui, deixar registrada a minha indignação contra as festas de Peão, que acontecem todos os anos em várias arenas montadas pelo interior de São Paulo, assim como qualquer outra manifestação que mal trata os animais - a Farra do Boi, Santa Catarina, e as terríveis Touradas na Espanha, são outros exemplos de crueldade.
Como se não bastasse apertar os testículos dos pobres animais para que a peãozada se equilibre nos lombos desses bichos enfurecidos de dor, uma tragédia envolve quatro jovens no rodeio de Jaguariúna, São Paulo. O que deveria ser festa, que ainda nem havia começado, termina em tragédia. Na noite de sexta-feira, 22, quatro jovens morreram após serem pisoteados em tumulto na entrada do festival. Por determinação da justiça, os shows desse fim de semana foram cancelados, inclusive do Rei Roberto Carlos. Bem, se ele fosse realmente Rei nem devia passar perto desse tipo de envento. Será fim de carreira ou está recebendo uma boa bolada para incentivar o público a comparecer nesses eventos sem fundamento? Isso vale para os outros cantores que se dizem sertanejos. Cantam uma música de corno aqui, outra de chifre ali e, pronto!!! O público adora e se doa (até a morte) para ouvir tanta baboseira.
Bom, se você gosta de ver animais pulando de dor nos testículos apertados e também querer que seus pais chorem sobre suas urnas funerárias, bom divertimento! Não esqueça de ficar num local estratégico para que o seu corpo seja, mais tarde, facilmente identificado pelos peritos do Instituto Médico Legal.
A Festa de Peão é realmente de peão metido a cowboy besta. Eu prefiro pedalar ou correr entre à natureza e os animais ao invés de estar brigando por um espaço numa arena de tortura e crueldade, onde a alegria de todos é ver bichos saltando de dor e ouvir cantores afônicos e desafinados. Seguuuuuuuuura a dor dessas famílias que perderam seus filhos. Lamentável!!! Quem sabe, num futuro próximo, alguma autoridade abra os olhos e proíba esse tipo de evento que só enche o bolso de pequenos grupos de interesse.
Aos organizadores de Festa de Peão, aos peões e quem mais interessar... experimente, durante 7 segundos, apertar seus próprios testículos com a mesma intensidade que são submetidos os dos cavalos e bois. Será, com certeza, uma boa diversão... melhor ainda seria ver bois e cavalos montados no lombo dessa gente.

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Aventuras (e desventuras) para Morungaba

Após três semanas sem sair de casa, devido a uma forte gripe, lá estava eu, sábado, 16, para mais uma aventura, claro, sempre na companhia do cunhado Jorge, 37. Nosso próximo desafio: pedalar de Joaquim Egidio até Morungaba. A distância não é grande, são apenas 20 quilômetros que separam o distrito de Campinas à Estância Climática. Numa localização priveligiada, a pequena cidade, com pouco mais de 12 mil habitantes, encontra-se próxima de Jundiaí, Itatiba, Amparo, Tuiuti, Bragança Paulista, Amparo, Serra Negra e Águas de Lindóia. Morungaba fica num vale ao pé da Serra das Cabras. O caminho por Joaquim Egidio é bom. O ciclista segue tranquilamente por pista até o Observatório de Capricórnio... cerca de 13 quliômetros de asfalto. Na bifurcação para o Observatório começa a estrada de terra. Tanto faz seguir pela direita (Observatório) ou pela esquerda. Ambos os sentidos dão acesso a Morungaba. O problema é que daquele ponto em diante, independente o percurso, é subida e mais subida de esforço físico médio. Mas, como havia chovido na noite anterior, pegamos trechos bastante complicados por causa do barro. No caminho encontramos outro ciclista que havia se perdido de seus colegas. Na tentativa de fugir do barro, seu Walter, 63, resolveu cortar caminho por uma fazenda que não o levou para lugar algum. Quando ele nos avistou, pediu ajuda para, literalmente, pular a cerca. É claro que não recusamos e o ajudamos a pular duas cercas de arame farpado. Logo adiante lá estavam seus amigos. José, 52, e Alcides, 46, com as amigas bikes. Jorge e eu nos juntamos ao grupo e pedalamos até Morungaba, já que eles conhecem bem aquela região. Na pacata cidade, paramos para um rápido lanche numa simpática padaria e seguimos adiante... mais 13 ou 15 quilômetros de trilha - mata d'entro de Morungaba. Quase 10 horas da manhã e o sol, finalmente dá as graças, pois às 7h30, quando saímos de Joaquim Egidio, o tempo estava nublado com um vento gelado em nossos rostos. A paisagem na área rual de Morungaba é de encher os olhos... e de lágrimas também!!! De onde estávamos dava para ter uma noção do que nos aguardava no retorno. É verdade... a subida, de volta para casa, não é das mais convidativas. Porém, tínhamos de retornar. Pelo menos, o pior trecho de subia é asfaltado, lisinho, mas de uma inclinação de dificuldade física alta, para quem não está acostumado. Se eu estou? Bem, foi difícil, mas consegui. Já no alto da Serra, nosso amigo José, nos aconselha a subir um pouco mais, até o Observatório de Capricórnio, para fugirmos do barro que enfrentamos na ida. Mais algumas leves subidas e, finalmente, o fim do drama. Agora é soltar as amigas bikes e relaxar as pernas até pegar a pista de asfalto que nos leva ao posto de combustível (lacrado) de Joaquim (chegamos às 13h30 - 60 kms de pedal). Ah, antes de eu encerrar, uma última informação: o barzinho que lá servia um delicioso açaí ou aquela salada de frutas fresquinha...
F E C H O U! Não temos mais as tiazinhas que tanto nos atendiam e serviam bem. Waltão, Zé e Cidão, vamos voltar lá para gravar mais imagens dos pontos turísticos da cidade. Abraços a todos!
video
Lembre-se, amante do ciclismo, jamais esqueça os equipamentos básicos de segurança: capacete, luvas e óculos.

Resultado da Enquete

Na última semana, através de enquete, o BlogSportBike, perguntou: o ciclista é respeitado por motoristas de veículos automotores? Nenhum bikernauta votou em sim, sempre; 12% ficaram em cima do muro, sim e não; 16% afirmaram que o ciclista nunca é respeitado; e, 70% disseram que as vezes. Isso demonstra que há motoristas de veículos automotores que têm consciência e respeitam o ciclista, como, também, há outros que pouco se importam com os bikers. De uma forma ou outra, quem gosta de pedalar - a passeio ou a trabalho - tem de ficar atento ao trânsito. E se quiser ser respeitado, respeite também as normas de segurança nas vias públicas. Pedalar sempre à direita e próximo da guia, parar no semáforo vermelho e utilizar os equipamentos básicos de segurança (capacete, luvas e óculos), são alguns dos deveres do ciclista. A lanterna piscante na traseira e o farol dianteiro, são outros acessórios indispensáveis para a segurança dele durante à noite. Por tanto, que façamos a nossa parte! O BlogSportBike agradece a todos que votaram.
Lembre-se, amante do ciclismo, jamais esqueça os equipamentos básicos de segurança: capacete, luvas e óculos.

domingo, 17 de maio de 2009

Na hora do aperto...

Pedalar é muito bom, conhecer novas trilhas melhor ainda. Mas, na hora do "aperto"... batismo ou não pode ser em qualquer lugar. Nessas horas, um pips amigo é inevitável e logo, o alívio!!! Quem não deve gostar nada disso são os morrinhos, as moitinhas e as próprias plantas (exóticas) de quintais e jardins. Dentre tantos pipizeiros, há aqueles que até sob escolta não têm vergonha de pipizar. De DuGomez (Domigueiras Bike) em homenagem aos colegas que não se deixam apertar. Boa semana a todos.

Lembre-se, amante do ciclismo, jamais esqueça os equipamentos básicos de segurança: capacete, luvas e óculos.

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Comunidade alemã decide ter uma vida sem automóveis e vira referência

O título acima é de uma reportagem da jornalista Elisabeth Rosenthal, de Vauban - Alemanhã, para o jornal norte-americano The New York Times. A matéria destaca que moradores da pequena comunidade alemã estão deixando seus carros para utilizar outros meios de transporte - ou o bonde, ou a bicicleta. Nas ruas de Vauban, onde residem pouco mais de 5 mil pessoas, carro não entra! Somente as bikes estão liberadas para circular. Esta prática está se tornando comum, também, em outros países, como no próprio Estados Unidos e na Europa. Os moradores de Vauban estão livres do barulho dos motores dos automóveis e do monóxido de carbono expelido pelos escapametos. Eles se consideram como suburbanos, integrantes de um movimento chamado de "planejamento inteligente". Vale a pena ler a matéria completa no link abaixo. Esta é mais uma demonstração de como a bicicleta está, a cada dia, fazendo parte da vida das pessoas.
http://noticias.uol.com.br/midiaglobal/nytimes/2009/05/12/ult574u9344.jhtm



Lembre-se, amante do ciclismo, jamais esqueça os equipamentos básicos de segurança: capacete, luvas e óculos.

quarta-feira, 13 de maio de 2009


Esta é a estampa da camiseta do Challenge Night Bike. Trata-se do Dia do Desafio entre Campinas e Cochabamba, cujo moradores de ambas as cidades terão de praticar atividade física durante, pelo menos, 15 minutos. Com o slogan, "Você pedala e o mundo pedala junto", o grupo de pedal Ecos Bikers está organizando um passeio ciclístico noturno, no dia 27 de maio, às 19h30, com saída da praça do Côco, em Barão Geraldo. Para participar do Challenge Night Bike e ganhar a camiseta do passeio, é necessário fazer a inscrição, antecipadamente, (já aberta, na praça do Côco) e doar uma lata de leite em pó ou dois quilos de arroz ou feijão, ou, também, dois litros de óleo. Segundo o organizador do evento, Arley de Jesus, a quantidade de camisetas é limitada (60 camisetas confeccionadas para o passeio) e quanto antes fazer a inscrição, melhor. Por se tratar de pedal noturno, não se esqueça de colocar lanterna de sinalização (piscante), tanto na dianteira como na traseira da bike. Durante o Challenge Day outras atividades físicas, organizadas pelo Sesc Campinas, também serão realizadas. No Dia do Desafio ninguém pode ficar de fora. Você se mexe e o mundo se mexe junto. Outras informações entrar em contado com o professor de educação física, Arley de Jesus (19 - 97138770).
Lembre-se, amante do ciclismo, jamais esqueça os equipamentos básicos de segurança: capacete, luvas e óculos.


terça-feira, 12 de maio de 2009

Sábado tem pedal com Campinas Bike Clube

Integrantes do Campinas Bike Clube se reúnem todos os sábados para pedalar pela cidade. O local de encontro dos ciclistas é no ginásio de esportes da Lagoa do Taquaral, às 15 horas, com saída as 15h30. O percurso geralmente é definido na hora, mas é importante levar na bagagem, além de água, gel e barras de cereais, bastante vontade e determinação, pois o CBC gosta de desafiar trilhas, digamos... bem interessantes. O convite está feito!
Lembre-se, amante do ciclismo, jamais esqueça os equipamentos básicos de segurança: capacete, luvas e óculos.

Domingo é dia de pedaladas com Domingueiras Bike

O Domingueiras Bike (Campinas), através de seus coordenadores, Almir Martelli e Du Gomez, convidam a todos para mais um pedal. Será no próximo domingo, 17, com 50 quilômetros de pedaladas, dessa vez, seguindo pelo alto do Taquaral, passando pelo Shopping D. Pedro, Unicamp (ciclo via), Barão Geraldo (praça do côco), Fazenda Rio das Pedras e Rancho do Foca. O retorno será pelos mesmos locais de ida. Martelli e Gomez informam que o grau de dificuldade física é alta, e técnica é média. Eles lembram sobre o "USO OBRIGATÓRIO DO CAPACETE", além de sugerirem o uso de luvas e óculos. O local de encontro é no portão 1 (pedalinhos) da Lagoa do Taquaral, com saída às 7h15, pontualmente.
Lembre-se, amante do ciclismo, jamais esqueça os equipamentos básicos de segurança: capacete, luvas e óculos.

SALVO PELO CAPACETE

No rodapé de cada postagem insisto em colocar a mensagem - lembre-se, amante do ciclismo, jamais esqueça os equipamentos básicos de segurança: capacete, luvas e óculos - por um motivo óbvio: o de garantir a nossa própria segurança. Exatamente!!! A utilização de capacete, luvas e óculos é primordial para a nossa integridade física, pois incidentes acontecem a todo momento durante uma pedalada. Seja por onde for, na pista ou na trilha, tem de usar esses acessórios. Aqui, citarei apenas um exemplo de o por quê temos de nos prevenir, pois em todas as atividades físicas existem o grau de risco e o de sorte, também.
No mês de abril, 10, um grupo de trinta ciclistas, amigos do Papa Terra e Pedal_aventura, de Indaiatuba-SP, partiu para Salesópolis. Lá, a turma de pedaladas desceu a Serra do Mar (estrada da Petrobrás) rumo a Caraguatatuba - litoral norte de São Paulo. Tudo muito bem organizado e esquematizado. Foram locados ônibus para o transporte dos atletas e das bikes, e carro de apoio com ferramentas e suplementos. Às 9 horas da manhã começava o desafio. A maioria estava indo pela primeira vez. No início da trilha são cerca de 30 quilômetros de subida, uma ascensão de 1.100 metros acima do nível do mar e que dá num belíssimo mirante. Lá, os ciclistas pararam para um leve descanso e reposição de energia a base de frutas, vitaminas, sais minerais e água. A "repouso" foi de, aproximadamente, 30 minutos (11h45 às 12h15). De volta a trilha, uma longa descida com muita erosão e pedras. Foi examente nesse trecho acidentado que aconteceu o inesperado. O ciclista, Márcio Batata (foto - o primeiro da direita para a esquerda), perdeu a tangência de uma curva devido as pedras e foi de encontro a uma valeta encoberta pela vegetação. Com o choque de sua Montain Bike Scott freio a disco, ele vôou e na queda bateu as costas, na altura do ombro, fraturando a clavícula. Já a cabeça sofreu forte impacto contra o solo, avariando o capacete (foto), mas nada sofreu, assim como suas mãos que estavam protegidas por luvas de dedo longo. Batata lembra que graças a esses acessórios, incluindo os óculos, que também protegeram seus olhos, nada de mais grave ocorreu. O ciclista foi resgatado pelos amigos de pedal, e um veículo que passava pelo local o levou para o Hospital de Caraguatatuba. Márcio Batata ainda está afastado de nossas pedaladas, em recuperação. Deve ter alta somente daqui há três ou quatro meses. O susto foi grande, mas graças aos equipamentos de segurança dos males o menor. basta, agora, ter paciência e disciplina para o seu reestabelecimento e breve retorno às trilhas. Força amigão!!!
Lembre-se, amante do ciclismo, jamais esqueça os equipamentos básicos de segurança: capacete, luvas e óculos.

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Surpresa durante pedalada


Na manhã de domingo, 10, Dia das Mães, o pessoal do Domingueiras Bike se reuniu para mais um passeio ciclístico. Foram 40 quilômetros de pedal na trilha da Bocaina - Joaquim Egidio (Campinas-SP). Além de aproveitar o sol e as belas paisagens do local, uma imagem que nada combina com o cenário. Os 11 bikers que passavam pela trilha, localizaram a carcaça de um veículo, tipo furgão, totalmente incendiado. Certamente, produto de furto. Veja as fotos do passeio no link abaixo. http://picasaweb.google.com.br/dudugomez/Domingueiras100509#
Prestação de serviço, é isso!!! BlogSportBike.
Lembre-se, amante do ciclismo, jamais esqueça os equipamentos básicos de segurança: capacete, luvas e óculos.

Cuidado ao parar em cruzamentos e semáforos

Hoje, segunda-feira, 11, recebi um email enviado pela CUCA (Corredores Unidos de Campinas), cuja equipe faço parte. Ela está alertando sobre mais uma prática de tentativa de assalto nos cruzamentos e semáforos das nossas cidades. Um grupo de adolescentes, oferecendo-se a limpar os vidros dos carros, como "flanelinhas", agora, tem em suas mãos um borrifador plástico como se fosse "vidrex". Ao invéz de começar a limpar os vidros sem dizer nada, como normalmente fazem, os garotos, que aparentam ter 12 ou 13 anos de idade, vão direto ao motorista para pedir dinheiro. Dois casos já foram registrados: o primeiro em Poá, na região metropolitana de São Paulo, onde, apesar do susto, a vítima estava com os vidros do carro fechados e os danos foram apenas materias, já que o produto passado na janela lateral, que ficou desgastada, era ácido. No segundo caso, em Campinas (SP), próximo ao shopping Iguatemi, o motorista foi atingido no pescoço por ácido muriático e terá de se submeter a uma cirurgia corretiva, e podia ter ficado cego caso fosse atingido nos olhos. Ao registrar boletim de ocorrência, na delegacia a vítima foi informada que essa prática tem aumentando aqui em Campinas, e que meninos e meninas de 12 a 15 anos de idade, já foram identificados e encaminhados a instituições de menores infratores. O recado está dado e todo cuidado é pouco.
O incentivo a prática de esportes é a melhor maneira de tirar crianças da rua.
Prestação de serviço, é isso!!! BlogSportBike.
Lembre-se, amante do ciclismo, jamais esqueça os equipamentos básicos de segurança: capacete, luvas e óculos.

domingo, 10 de maio de 2009

Domingueiras Bike

No mês de abril, 19, conheci uma turma bem animada. Domingueiras Bike é um grupo de pedal de Campinas, que se reúne todo domingo às 7 horas da manhã no portão 1 (pedalinhos) da Lagoa do Taquaral. Após 15 minutos, digamos... de aquecimento... e tempo suficiente para todos acordarem, naquela manhã fria e preguiçosa, lá estávamos pedalando rumo a Jaguariúna. Fomos pela rodovia Campinas-Mogi Mirim. Fizemos duas paradas rápidas - a primeira, na praça de pedágio; a segunda, no trevo de acesso a Jaguariúna, para o nosso grupo não dispersar e, principalmente, manter a segurança de todos os ciclistas. Com a finalidade de produzir um vídeo do passeio, estava eu sempre para trás, por esperar os bikers passarem. O difícil foi pedalar forte para chegar, passar e novamente ficar para trás, e assim sucessivamente, tudo por uma boa imagem. Entre esses dois trechos, outro grupo - de speed -, com suas bikes velozes, nos alcançou rapidamente e ficou alguns minutos conosco até disparar de vez na nossa frente. Já em Jaguariúna, paramos numa "padoka" para fazer um pit stop. Em seguida, visitamos a estação Carlos Gomes da antiga Mogiana, responsável pelo escoamento do café até o porto de Santos, através da charmosa e bucólica Maria-Fumaça. Retornamos a Campinas por uma trilha paralela a linha férrea e, como não podia ser diferente, mais uma parada rápida, desta vez, para consertar um pneu furado. Nosso ponto de chegada foi na própria Lagoa, ao meio dia, que estava lotada de "domingueiros", cada um se divertindo ao seu modo. E por falar em domingueiros, o grupo de pedal, Domingueiras Bike, coordenado por Du Gomez, está de portas abertas para quem quiser se unir a turma. O convite está feito. Bom domingo, e Feliz dia das (nossas... in memorian ou não) Mães!!!
Lembre-se, amante do ciclismo, jamais esqueça os equipamentos básicos de segurança: capacete, luvas e óculos.
video

sábado, 9 de maio de 2009

ENQUETE - Ciclistas versus Motoristas

Em virtude do acidente ocorrido na quinta-feira, 7, com a nossa colega Cristiane, integrante do Campinas Bike Clube (CBC), lanço ENQUETE para saber se nós ciclistas somos respeitados no trânsito da cidade. A sua opinião é muito importante. Abraços, Anthony.
Lembre-se, amante do ciclismo, jamais esqueça os equipamentos básicos de segurança: capacete, luvas e óculos.

Desafio Challenge Day

Campinas sediará o Desafio Challenge Day contra a cidade de Cochabamba. Trata-se de uma "disputa" que trará muitos benefícios para os moradores de ambas as regiões. No dia 27 de maio, todas as pessoas, independente da idade - seja novo, seja velho - devem fazer, pelo menos, 15 minutos de exercício físico - uma campanha mundial de incentivo à pratica regular de atividade física em beneficio à saúde, e promovida por meio de ações comunitárias. Com o slogan, "você se mexe e o mundo se mexe junto", o Sesc Campinas está promovendo o evento para atrair o maior número de pessoas. O grupo de pedal, Ecos bikers, está organizando o Challenge Night-Bike, passeio ciclístico noturno em Barão Geraldo. O local de encontro será na Praça do Côco, às 19h30. Para participar do pedal, basta doar um quilo de alimento não perecível. Outras informações, ligar para o professor de Educação Física, Arley de Jesus, (19) 97138770.
Lembre-se, amante do ciclismo, jamais esqueça os equipamentos básicos de segurança: capacete, luvas e óculos.

Manutenção da Bike

Quem estiver procurando dicas para manter a bike em ordem, veja no link abaixo... uma escola super legal: a da bicicleta. Show de pedal!
Boa aula!!!
Lembre-se, amante do ciclismo, jamais esqueça os equipamentos básicos de segurança: capacete, luvas e óculos.

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Ciclista é atropelado em Campinas

Acidentes envolvendo ciclistas não param de acontecer nas vias públicas de nosso país. O primeiro, registrado em 14 de janeiro de 2009, ganhou destaque nos principais jornais de grande circulação. Márcia Regina de Andrade Prado, 40, que pedalava na avenida Paulista, foi atropelada por um ônibus, às 11h50, sentido Consolação - cruzamento da Alameda Campinas. A Unidade de Resgate (UR) do Corpo de Bombeiros foi acionada, mas ao chegar no local, a ciclista já havia perdido a vida. O corpo foi removido pelo carro do Instituto Médico Legal (IML) após quatro horas de espera.
Em Mauá-SP, Maurício Edson Ricieri, 56, também foi vítima fatal de atropelamento por ônibus. No dia 4 de abril, último, o aposentado pedalava por uma avenida que dá acesso ao Mauá Plazza Shopping, onde foi atingido por volta das 14h30.
Uma terceira vítima de motoristas imprudentes é de nossa cidade. A integrante do Campinas Bike Clube, de prenome Cristiane, foi atropelada por um veículo, dia 7 de maio, durante o "Quinta do Pedal", dia de pedalada noturna pela cidade. A ciclista foi socorrida e passa bem. Ela fraturou a clavícula, o omoplata e duas costelas.
Essas ocorrências vitimando nossos colegas ciclistas é lamentável, pois o Código Nacional de Trânsito é claro: pedestres e ciclistas têm a preferência no tráfego das vias públicas.
No capítulo III - Das Normas Gerais de Circulação e Condutas -, artigo 29, parágrafo 2, aponta que:
respeitadas as normas de circulação e conduta estabelecidas neste artigo, em ordem decrescente, os veículos de maior porte serão sempre responsáveis pela segurança dos menores, os motorizados pelos não motorizados e, juntos, pela incolumidade dos pedestres.
Já o artigo 38 - parágrafo único, afirma:
durante a manobra de mudança de direção, o condutor deverá ceder passagem aos pedestres e ciclistas, aos veículos que transitem em sentido contrário pela pista da via da qual vai sair, respeitadas as normas de preferência de passagem.
Manter a distância de 1,50 metros do ciclista também faz parte do Código. Infelizmente, essas - entre muitas outras - normas de trânsito no Brasil não são respeitadas pelos motoristas de veículos automotores. Pior, xingam os ciclistas, ou até mesmo jogam o veículo sobre eles, mesmo que estejam na via de preferência. Respeito e cordialidade não existem. Parece uma guerra urbana, igual a dos pedestres, que a cada ano são vítimas fatais de um tráfego sem controle. No ano passado foram registrados 83 mortes de ciclistas em São Paulo.
Veja o Código Nacional de Trânsito (bicicletas) em: www.escoladebicicleta.com.br/dicasCTB.html
Lembre-se, amante do ciclismo, jamais esqueça os equipamentos básicos de segurança: capacete, luvas e óculos.

Copa Pedal Leve em Salesópolis: inscrições on-line

O Pedal_aventura e o Papa Terra, grupos de ciclistas de Indaiatuba, interior de São Paulo, estiveram presentes, em abril, no município de Salesópolis-SP, para descer a Serra do Mar rumo a Caraguatatuba. Agora, a Serra do Mar será palco de mais uma atração radical, a "Copa Pedal Leve". O circuito promete muita adrenalina. Todo um esquema de segurança será armado para atendimento aos ciclistas. E aí, Márcio Batata, vai encarar???
Lembre-se, amante do ciclismo, jamais esqueça os equipamentos básicos de segurança: capacete, luvas e óculos.

A grandiosidade dos longos treinos do pedal

Pedalar, pedalar e pedalar. Quanto mais pedalamos, mais longe queremos chegar. Quem conhece o Papa Terra, grupo de ciclistas de Indaiatuba (SP), entende como esse pessoal pedala forte... 70, 80 quilômetros, ou mais, de estrada de terra. Certa vez, lá estava eu com os integrantes do Papa Terra. No km 53 não suportei mais o ritmo desse pedal e caí duro com cãibras. Os ciclistas me deram pronto atendimento e um deles (Rogério) teve de ir buscar meu carro, pois pedalar para mim não dava mais. O artigo "A grandiosidade dos longos treinos de pedal", retrata a satisfação dos bikers vencerem desafios e seus próprios limites, o que faz melhorar sua auto estima. Confira!
Lembre-se, amante do ciclismo, jamais esqueça os equipamentos básicos de segurança: capacete, luvas e óculos.

A escolha certa do selim

O conforto ao pedalar é um importante item para o rendimento do ciclista, independente da modalidade que pratica. A escolha certa do selim pode fazer a diferença. Veja as principais dicas de quem entende do assunto. O ciclista, Igor K. Lagüéns, é professor de educação física, especializado em avaliação e correção postural de ciclistas.

Lembre-se, amante do ciclismo, jamais esqueça os equipamentos básicos de segurança: capacete, luvas e óculos.

Segurança na hora de pedalar nas rodovias

O ex-triathleta, Claudio Clarindo, fala sobre os cuidados dos ciclistas pedalarem nas rodovias brasileiras. A falta de capacete e de óculos de sol, segundo o atleta, são as principais negligências dos bikers. Clarindo destaca, também, os constantes roubos de bicicletas nas ruas e avenidas das cidades (no caso dele, no Guarujá).
Infelizmente, essa prática não tem ocorrido apenas no litoral sul de São Paulo. Aqui na região de Campinas alguns ciclistas já passaram por essa amarga experiência - a de retornar para casa a pé. O ponto crítico fica entre Valinhos e Campinas - nas rodovias Magalhães Teixeira e D. Pedro I, que ligam os dois municípios. Fica o alerta!
Lembre-se, amante do ciclismo, jamais esqueça os equipamentos básicos de segurança: capacete, luvas e óculos.

terça-feira, 5 de maio de 2009

A estréia de um novo "biker"

Se a vontade de pedalar é cada vez maior, imagina você ter companhia garantida todo sábado pela manhã. Olha a ficha da "personalidade": baixinho, ex-obeso, ex-manguaça, (ainda) fuma e "portuga". Vixe, só "defeitos"'? Okey, okey, lá vai um elogio... o "cara" é inteligente, mais do que isso, é o meu cu-nhado. Ainda na graduação ele já pedalava... imagina você... uma BARRA-FORTE. A tal bike, se é que podemos chamar "aquilo" de bike, ainda existe e está lá na universidade em São José do Rio Preto. Esse é o Jorge, agora de "barra-leve", aliás, levíssima para os tempos atuais. No dia da sua "estreia" como "biker", ficamos para traz de um ciclista que não tirou a sapatilha do pedal numa subida de alto grau de dificuldade. O colega nos deixou comendo poeira, mas logo chegaremos lá. (vídeo - a estréia)
Lembre-se, amante do ciclismo, jamais esqueça os equipamentos básicos de segurança: capacete, luvas e óculos.
video